Sessão de Esclarecimento PHC
Taxonomias e SAF-T

Taxonomias – PHC

Como é do seu conhecimento, a Portaria n.º 302/2016 de 2 de dezembro aprovou a nova estrutura do ficheiro SAF-T (PT) com entrada em vigor a partir do dia 1 de julho de 2017 e introduziu o conceito de Taxonomias no âmbito da informação relativa à Contabilidade, que entrou em vigor no dia 1 de janeiro de 2017.

Este novo conceito traduz-se no seguinte: cada conta do plano de contas vai ser representada por um código de taxonomia que, por sua vez, obedece ao referencial contabilístico de cada empresa.

Neste contexto, a PHC já disponibilizou na versão atual, V21, a emissão do ficheiro SAF-T (PT) de acordo com a supra-referida portaria, assim como a estrutura e respetiva rotina para adaptação dos planos de contas existentes.

Em termos práticos, esta rotina auxilia o alteração do plano de contas.

Quais as alterações?

A Portaria nº 302/2016 altera a estrutura de dados do ficheiro SAF-T, que inclui informação contabilística complementar, levando a mais uma transformação digital na Contabilidade. A inclusão de taxonomias na estrutura do SAF-T(PT) tem como objetivo imediato permitir que o envio da IES em 2018, para reporte do exercício contabilístico de 2017, seja consideravelmente simplificado.

O que são as taxonomias?

As taxonomias são códigos de contas sequenciais, organizados em 2 planos autónomos: um, para microempresas, e o outro para pequenas, médias e grandes empresas. Em ambos os casos, deverá ser estabelecida uma correspondência entre as contas contabilísticas e os códigos de taxonomia, o que poderá obrigar algumas empresas a desdobrarem os seus planos de contas no exercício de 2017. Esta classificação estará refletida no novo ficheiro SAF-T em vigor a partir de 1 de Julho, que servirá para automatizar o preenchimento dos anexos A e I da IES.

Quem é afetado?

Todas as entidades que são obrigadas a dispor de contabilidade organizada.

Quando acontecem estas alterações?

  • A partir de 1 de Janeiro de 2017, a Contabilidade das sociedades deve refletir as alterações necessárias para permitir o cumprimento em 2018 da obrigação declarativa IES já simplificada no preenchimento daquilo que hoje conhecemos como Anexos A e I.
  • A partir de 1 de Julho de 2017, os sujeitos passivos devem estar capazes de facultar à autoridade tributária o ficheiro SAF-T(PT) na sua nova estrutura, quer na perspetiva contabilística quer na perspetiva de faturação.

De que forma o podemos ajudar?

Neste contexto, a PHC já disponibilizou na versão atual, V21, a emissão do ficheiro SAF-T (PT) de acordo com a supra-referida portaria, assim como a estrutura e respetiva rotina para adaptação dos planos de contas existentes.

Em termos práticos, esta rotina auxilia o alteração do plano de contas.